O presidente Jair Bolsonaro, afirmou que o governo vai negociar com a Câmara e com o Senado um valor novo para mais duas parcelas do auxílio emergencial, repassado pelo governo por conta da pandemia causada pelo coronavírus. Apesar disso, o governo não vai conseguir manter a ajuda no valor atual de R$600.

Em entrevista ao canal TV AgroMais, da TV Bandeirante, o presidente disse que “União não aguenta outro desse mesmo montante que por mês nos custa cerca de 50 bilhões de reais. Se o país se endividar demais, vamos ter problema. Vai ser negociado com a Câmara, presidente da Câmara, presidente do Senado, um valor um pouco mais baixo e prorrogar por mais dois meses, talvez a gente suporte, mas não o valor cheio de 600 reais”, disse.

Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou no sábado (20) que o valor a ser pago deve ser o de R$ 600 reais nas futuras parcelas do auxílio emergencial.

No Twitter ele declarou que “A todos que me perguntam sobre o auxílio emergencial: sou a favor da prorrogação do auxílio de R$600 por mais dois ou três meses”, afirmou.

De acordo com ele, todos os indicadores apontam para uma forte queda da atividade econômica no terceiro trimestre. E o auxílio serviria para fomentar a economia nesse período crítico.