Terminou na noite desta sexta-feira (9), na Câmara Municipal de Cataguases, após seis horas de discussão, mais uma tentativa de cassação do mandato do prefeito Willian Lobo de Almeida (PSDB), comandada pela Frente Popular composta pelos vereadores de oposição Hercyl Neto (PROS), Maria Angela Girardi (PROS), Rogério Ladeira (PHS), Sargento Jorge Roberto (PHS) e Rafael Moreira (PRB), que recebeu o apoio dos ex-aliados do prefeito Willian, os vereadores Betão do Remo (PSB), Henrique Thurran (PRTB) e Marcos Costa (PSD).


Os opositores que durante toda a semana davam por certo derrota do chefe do executivo na Câmara Municipal, ficaram frustados com as votações do vereador petista Paulo Milane a favor do prefeito tucano Willian Lobo nas quatro acusações apresentadas, contrariando a orientação do Partido dos Trabalhadores que na quinta-feira (8), emitiu uma nota oficial orientando o vereador para que votasse favorável ao afastamento do prefeito.

Desde 2017, duas outras tenta ós alteração através de  emenda no Regimento Interno do Legislativo Municipal , que teve como autor o vereador Hercyl Neto (PROS), permitindo que qualquer cidadão possa realizar denúncias contra o prefeito, uma nova Comissão Processante foi instalada e teve como presidente o vereador Betão do Remo,  Mauro Ruela (relator)  e Marcos Costa, como membro.

A nova denuncia chegou ao Poder Legislativo Municipal através dos eleitores Eduardo Antunes Barcelos, Gilberto Feliciano Silva, Elisabete Peixoto Caetano e Beatriz Rodrigues dos Santos, que acusavam o prefeito Willian de fraudar processo licitatório na contratação da empresa Innovar Consultoria em Medicina do Trabalho Ltda-ME; falsificação de documentos  das empresas AML Assistência Médica Leopoldinense Eireli e Medclin Cataguases Ltda; improbidade administrativa; improbridade administrativa por superfaturamento de preços para serviços laboratóriais e clínicos; desvio de finalidade na edição do Decreto nº 4634/2017 que regulamenta a utilização do sistema de registro de preços constante no art. 15 da Lei 8.666/93;

O rito seguiu a ordem estabelecida com a convoção do suplente de veredor Geraldo Majella (PT), subistituindo o presidente do Legislativo, vereador Ricardo Dias (PCdoB), que se alto declarou impossibilitado de votar neste julgamento e com a leitura do parecer do Relator vereador Mauro Ruela (PTC) que pedia o aquivamento do processo por considerar legal a contratação da empresa Innova, e do relatório dos vereadores de oposição  Betão do Remo (PSB)  e Marcos Costa (PSD) que pediu a cassação do mandato do prefeito, sendo este último aprovado pela maioria dos membros da comissão instalada para julgar o caso.

Para que a nova denúncia prosperasse e decretasse a cassação do mandato do prefeito William Lobo, seriam necessários 10 votos (2/3) dos vereadores. O que não ocorreu em nenhuma das acussações apresentadas em plenário.


Confira como votou cada vereador:

1. ACUSAÇÃO DE FRAUDE NO PROCESSO LICITATÓRIO Nº 65/2017 A FAVOR DA EMPRESA INNOVAR.

Votaram pela improcedência da denúncia 6 vereadores:

Gilmar Canjica (PSDB)
Betão do Areão (PSDB)
Mauro Ruela (PTC)
Michelângelo Correa (PSDB)
Paulo Milani (PT)
Vinícius Machado (DEM)

Votaram pela procedência 9 vereadores:
Betão do Remo (PSB)
Geraldo Majella (PT)
Henrique Thuram (PRTB)
Hercyl Neto (PROS)
Sargento Jorge Roberto (PHS)
Marcos Costa (PSD)
Maria Ângela (PROS)
Rafael Moreira (PRB)
Rogério Ladeira (PHS)

2. ACUSAÇÃO DE FALSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DAS EMPRESAS AML ASSISTÊNCIA TÉCNICA LEOPOLDINENSE EIRELI E MEDCLIN CATAGUASES LTDA.

Votaram pela improcedência da denúncia 13 vereadores:

Gilmar Canjica 9 (PSDB)
Betão do Areão (PSDB)
Mauro Ruela (PTC)
Michelângelo Correa (PSDB)
Paulo Milani (PT)
Vinícius Machado (DEM)
Geraldo Majella (PT)
Hercyl Neto (PROS)
Sargento Jorge Roberto (PHS)
Marcos Costa (PSD)
Maria Ângela (PROS)
Rafael Moreira (PRB)
Rogério Ladeira (PHS)

Votaram pela procedência 2 vereadores:

Betão do Remo (PSB)
Henrique Thuram (PRTB)

3. ACUSAÇÃO DE IMPROBRIDADE ADMINISTRATIVA POR SUPERFATURAMENTO NOS VALORES CONTRATADOS  PARA SERVIÇOS CLÍNICOS E LABORATÓRIAIS JUNTO A INNOVAR.

Votaram pela improcedência da denúncia 6 vereadores:

Gilmar Canjica (PSDB)
Betão do Areão (PSDB)
Mauro Ruela (PTC)
Michelângelo Correa (PSDB)
Paulo Milani (PT)
Vinícius Machado (DEM)

Votaram pela procedência 9 vereadores:

Betão do Remo (PSB)
Geraldo Majella (PT)
Henrique Thuram (PRTB)
Hercyl Neto (PROS)
Sargento Jorge Roberto (PHS)
Marcos Costa (PSD)
Maria Ângela (PHS)
Rafael Moreira (PRB)
Rogério Ladeira (PHS)

4.  ACUSAÇÃO DE DESVIO DE FINALIDADE NA EDIÇÃO DO DECRETO Nº 4634/2017QUE PERMITIU REGISTRO DE PREÇOS EM ATA CARONA DE OUTROS ESTADOS

Votaram pela improcedência da denúncia 6 vereadores:

Gilmar Canjica (PSDB)
Betão do Areão (PSDB)
Mauro Ruela (PTC)
Michelângelo Correa (PSDB)
Paulo Milani (PT)
Vinícius Machado (DEM)

Votaram pela procedência 9 vereadores:

Betão do Remo (PSB)
Geraldo Majella (PT)
Henrique Thuram (PRTB)
Hercyl Neto (PROS)
Sargento Jorge Roberto (PHS)
Marcos Costa (PSD)
Maria Ângela (PROS)
Rafael Moreira (PHS)
Rogério Ladeira (PHS)